quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Retrospecto do Mês: Uma análise dos acontecimentos do mês de Janeiro e antecedentes




O primeiro mês do ano termina hoje e assim caminhamos para o mês de fevereiro. Rendamos graças a Deus pelo mês que está terminando e peçamos os dons divinos para o novo mês que aproxima. Peçamos a Deus pelas almas dos fiéis defuntos que não puderam nos acompanhar no findar deste mês.



O mês de Janeiro é dedicado pela Igreja a Sagrada Família e a Epifania do Senhor. A Sagrada família, modelo de família católica, deve servir-nos de exemplo na formação de uma família cristã, aos moldes dos mandamentos divinos. A Festa da Epifania que nós celebramos durante o mês de Janeiro, celebra a seu modo a manifestação de Deus na história da humanidade. Deus se fez carne e entrou na história humana para promover a salvação das almas perdidas pelo pecado desde sua origem. As manifestações do Verbo de Deus vão além da Aparição da Estrela em Belém (6 de Janeiro), como também as bodas de Cana e o Santo Batismo(13 de Janeiro). A festa da Epifania então é uma festa que se estende do Natal até a Septuagésima.



No mês de janeiro também temos a presença de gloriosos santos e mártires. São Sebastião o Patrono do Rio de Janeiro e São Paulo, o padroeiro da capital paulistana. Temos também São João Bosco e a festa da Cátedra de São Pedro em Roma. Não é possível falar de todos os grandes personagens da vida cristã deste mês, por isso vamos nos ater aos mais celebrados.



No mês de Janeiro deste ano observamos vários fatos que nos acompanharão numa reflexão profunda ao longo do ano. A china, mesmo sendo um país comunista, declarou guerra a pornografia e a imoralidade. A justificativa para tal combate não se trata de questões religiosas, mas de uma posição formal do partido comunista contra "o abuso do poder pela volúpia". Uma forma de combater a corrupção através da promiscuidade de seus funcionários e líderes. O Rio começou o ano da mesma forma que vive durante o ano inteiro em ataques de balas perdidas e assaltos. A festa da comemoração da fundação da cidade de São Paulo foi a base de violência promovida por um morador de rua durante a missa da Conversão de São Paulo na Catedral da Sé. Um padre italiano se negou interromper a missa após notar que um dos féis estava morto e por isso foi duramente perseguido e massacrado pela imprensa sensacionalista. E qual será o motivo de tanto estardalhaço as portas do carnaval, no qual o Arcebispo de Recife prometeu excomungar quem tomasse a pílula do dia seguinte? A mídia gosta de promover a orgia do carnaval, por motivos comerciais. Neste mundo tudo é promovido e justificado pelo dinheiro e não mais pelas leis de Deus.



Os objetivos das sociedades ao longo dos anos são diferentes, e isso é óbvio. No tempo de nossos avós ser feliz é conquistar o céu e ser fiel a Nosso Senhor tendo uma família constituída na graça de Deus. Hoje o objetivo é ter dinheiro e se afogar em drogas quando a situação se tornar insustentável e de difícil solução.


Espero que o caro leitor reflita agora neste mês que está para iniciar nos rumos que a sociedade está tomando. Tenhamos em nossas mentes que não é este o modo de vida que desejamos para nós e nossos filhos. Tenha um santo mês de fevereiro na paz e no amor de Deus Nosso Senhor.



São João Bosco


João Bosco, fundador da ordem dos Salesianos e mentor de São Domingos Sávio. Nasceu em 1815, em Becchi, Piedment na Itália e começou seus estudos para sacerdote na idade de 16 anos, recebendo a ordenação em 1841.
Enviado para Valdocco, subúrbio de Turim ele atraiu centenas de jovens para a sua capela e seus sermões à tarde, e reabriu uma casa de pensão com sua mãe para aprendizes, seguido de uma pequena oficina de aprendizagem onde ensinava vários ofícios aos jovens. Fundou então uma Ordem para prestar esses serviços e a colocou sob a proteção de São Francisco de Salles, chamando-a de "Ordem dos Salesianos."
Isto foi seguido em breve por uma congregação similar para as mulheres chamada de "Filhas de Maria Auxiliadora" fundada por Santa Maria Mazzarelo popularmente conhecidas como " as salesianas" e na época de sua morte em 1888, a congregação tinha cerca de 1000 padres e 900 freiras. O seu trabalho era caracterizado por uma imensa paciência-nunca foi lembrado de ter punido uma criança - e grande capacidade de ensino.
Certa vez ele curou um homem de paralisia e outro da cegueira. De outra feita não havia hóstias suficientes para multidão que estava indo para a Comunhão, mas Dom Bosco fez suas orações e o Sagrado Sacramento milagrosamente multiplicou-se de modo que todos puderam receber a comunhão.
Hoje existem cerca de 40.000 salesianos (padres e irmãs) trabalhando em 120 paises. Eles cuidam de 220 orfanatos, 219 clínicas e hospitais, 864 creches e 3.104 escolas (das quais 287 são escolas técnicas e 59 são agrícolas).
O Papa Pio XI declarou por ocasião de sua canonização em 1934:
"Em sua vida, o sobrenatural tornou-se quase natural e o extraordinário ordinário".
Ele teria tido uma visão do que seria, o que hoje conhecemos como a cidade de Brasília. É o padroeiro de Brasília.
Dom Bosco ensinou aos membros da família Salesiana a amarem Nossa Senhora, invocando-a com o título de AUXILIADORA. Pode-se afirmar que a invocação de Maria como título de Auxiliadora teve um impulso enorme com Dom Bosco. Ficou tão conhecido o amor do Santo pela Virgem Auxiliadora a ponto de Ela ser conhecida também como a "Virgem de Dom Bosco". Escreveu o santo: "A festa de Maria Auxiliadora deve ser o prelúdio da festa eterna que deveremos celebrar todos juntos um dia no Paraíso".
Dom Bosco faleceu em 31 de janeiro de 1888 e 100.000 ou mais pessoas foram ao seu funeral ou visitaram seu corpo na igreja em Turin e toda a cidade foi vê-lo sendo carregado para seu túmulo. Mas dizem que mais de 200.000 foram ao seu funeral e oraram a ele e não por ele.
Sua festa é celebrada no dia 31 de janeiro.

Novena de Nosso Senhor da Boa Morte (4º dia)

Hoje elevamos nossos olhares e nossas súplicas contra as mortes em acidentes graves. Também vamos pedir a Nosso Senhor que não tenhamos uma morte repentina sem que antes tenhamos tempo para o arrependimento.
Vamos pedir a Deus que tenha misericórdia das pessoas que estão em pecado mortal para que não sofram uma morte repentina sem que, antes possam receber os sacramentos e obter um arrependimento perfeito. Que Deus em sua bondade infinita perdoe nossos crimes e assim nos livre das chamas eternas que são reservadas aos maus. Confiemos no coração eucarístico de Cristo que sempre perdoa mesmo após tantos ferimentos proporcionados pelo nosso egoísmo.




+ Em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo. Amém.



Senhor meu Jesus Cristo, pelo muito que padecestes pregado na Cruz, principalmente naquela hora em que vossa alma santíssima saiu do vosso corpo santíssimo, vos peço que tenhais misericórdia se mim.Amém.

Deus te Salve ó Cruz preciosa; por ti me salve que em ti me remiu!



Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, ouvi-nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.
Pai Celeste que sois Deus, tende piedade de nós.
Filho, redentor do mundo, que sois Deus.
Espírito Santo, que sois Deus,
Santíssima Trindade, que sois um só Deus,
Jesus Filho de Deus vivo,
Jesus, esplendor do Pai,
Jesus, pureza da luz eterna,
Jesus, Rei da glória,
Jesus, sol de justiça,
Jesus, Filho da Virgem Maria,
Jesus amável,
Jesus admirável,
Jesus, Deus forte,
Jesus, Pai do futuro século,
Jesus, Anjo do grande conselho,
Jesus poderosíssimo,
Jesus pacientíssimo,
Jesus obedientíssimo,
Jesus, brando e humilde de coração
Jesus, amante da castidade,
Jesus, amador nosso,
Jesus, Deus da paz,
Jesus, autor da vida,
Jesus, exemplar das virtudes,
Jesus, zelador das almas,
Jesus, nosso Deus,
Jesus, nosso refúgio,
Jesus, pai dos pobres,
Jesus, tesouro dos fiéis,
Jesus, bom Pastor,
Jesus, verdadeira luz,
Jesus, Sabedoria eterna,
Jesus, bondade infinita,
Jesus, nosso caminho e nossa vida,
Jesus, alegria dos Anjos,
Jesus, Rei dos Patriarcas,
Jesus, Mestre dos Apóstolos,
Jesus, Doutor dos evagelistas,
Jesus, fortaleza dos Mártires,
Jesus, luz dos Confessores
Jesus, pureza das virgens,
Jesus, coroa de todos os santos,
Sede-nos propício: perdoai-nos, Jesus.
Sede-nos propício, ouví-nos, Jesus.
De todo o mal, livrai-nos Jesus.
De todo o pecado,
Da vossa ira,
Das cidades do demônio,
Do espírito da impureza,
Da morte eterna,
Do desprezo das vossas inspirações,
Pelo mistério da vossa santa Encarnação,
Pela vossa natividade,
Pela vossa infância,
Por toda a vossa santíssima vida,
Pelos vossos trabalhos,
Pela vossa agonia e pela vossa paixão,
Pela vossa cruz e pelo vosso desamparo,
Pelas nossas angústias,
Pela vossa morte e pela vossa sepultura,
Pela vossa ressurreição,
Pela vossa ascensão,
Pela vossa instituição da santíssima Eucaristia.
Pelas vossas alegrias,
Pela vossa glória,
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, perdoai-nos Jesus.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, ouvi-nos Jesus.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós, Jesus.
Jesus, ouvi-nos.
Jesus, atendei-nos.


Oremos: Senhor Jesus Cristo que dissestes: Pedi e recebereis; buscais e achareis; batei e abrir-se-vos-á,nos vos suplicamos que concedas a nós, que vo-lo pedimos, os sentimentos afetivos de vosso divino amor, a fim de que nós de todo coração e que esse amor transceda por nossas ações, sem que deixemos de vos amar. Permiti que tenhamos sempre, Senhor , um igual temor e amor pelo vosso santo nome; pois não deixais de governar aqueles que estabeleceis na firmeza do vosso amor.Vós que viveis e reinais pelos séculos dos séculos.


Amem.



(Oração em Latim - O mesmo texto rezado anteriormente)



Kyrie, eleison.
Christe, eleison.
Kyrie, eleison.
Iesu, audi nos.
Iesu, exaudi nos.
Pater de caelis, Deus, miserere nobis.
Fili, Redemptor mundi, Deus,
Spiritus Sancte, Deus,
Sancta Trinitas, unus Deus,
Iesu, Fili Dei vivi
Iesu, splendor Patris,
Iesu, candor lucis aeternae,
Iesu, rex gloriae,
Iesu, sol iustitiae,
Iesu, Fili Mariae Virginis,
Iesu, amabilis,
Iesu, admirabilis,
Iesu, Deus fortis,
Iesu, pater futuri saeculi,
Iesu, magni consilii angele,
Iesu potentissime,
Iesu patientissime,
Iesu obedientissime,
Iesu, mitis et humilis corde,
Iesu, amator castitatis,
Iesu, amator noster,
Iesu, Deus pacis,
Iesu, auctor vitae,
Iesu, exemplar virtutum,
Iesu, zelator animarum,
Iesu, Deus noster,
Iesu, refugium nostrum,
Iesu, pater pauperum,
Iesu, thesaure fidelium,
Iesu, bone pastor,
Iesu, lux vera,
Iesu, sapientia aeternae,
Iesu, bonitas infinita,
Iesu, via et vita nostra,
Iesu, gaudium Angelorum,
Iesu, rex Patriarcharum,
Iesu, magister Apostolorum,
Iesu, doctor Evangelistarum,
Iesu, fortitudo Martyrum,
Iesu, lumen Confessorum,
Iesu, puritas Virginum,
Iesu, corona Sanctorum omnium,
Propitius esto, parce nobis, Iesu.
Propitius esto, exaudi nos, Iesu.
Ab omni malo, libera nos, Iesu.
Ab omni peccato,
Ab ira tua,
Ab insidias diaboli,
A spiritu fornicationis,
A morte perpetua,
A neglectu inspirationeum tuarum,
Per mysterium sanctae Incarnationis tuae,
Per nativitatem tuam,
Per infantiam tuam,
Per divinissimam vitam tuam,
Per labores tuos,
Per agoniam et passionem tuam,
Per crucem et derelictionem tuam,
Per languores tuos,
Per mortem et sepulturam tuam,
Per resurrectionem tuam,
Per ascensionem tuam,
Per sanctissimae Eucharistiae institutionem tuam,
Per gaudia tua,Per gloriam tuam,
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi,parce nobis, Domine.
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi,exaudi nos, Iesu.
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi,miserere nobis, Iesu.
Iesu, audi nos.
Iesu, exaudi nos.


Oremus: Domine Iesu Chiristi, qui dixisti: Petite, et accipietis; quaeriti, et invenietis; pulsate et aperietur vobis; quesumus da nobis, petentibus,divinissimi tui amoris affectum, ut te todo corde, ore et opere diligamus et a tua nunquam laude cessemus. Sancti nominis tui, Domine, timorem pariter et amorem facnos habere perpetuum. quia nunquan tua gubernatione destituis,quos in soliditare tuae dilectionis instituis. Qui vivis et regnas in saecula saeculorum.


Amén.



Amorosíssimo Jesus, aqui tende aos vossos pés este ingrato pecador, que vem fugindo das cruéis tempestades do mundo, que lhe originaram seus pecados. Mas que confusão não me cerca este coração distraído tendo-me colocado diante de vossa presença? Não me negueis, por indigno, o que vos peço como filho que vos ama.



Espero que vos mova a compaixão o mesmo motivo que iria mover vossa justiça. Aqui aos vossos pés, com os olhos nas vossas chagas, me pesa, Senhor, dos agravos que vos tenho feito. Andei cego pelo caminho da perdição, correndo atrás dos vícios; mas agora na mais sentidas lágrimas quero afogar minhas culpas; nos mais veementes suspiros quero sepultar meus desejos. Pesa-me, meu Pai, de vos ter ofendido. Pesa-me meu Pai de vos ter agravado, por serdes sumamente bom; mas proponho-vos diante do céu e da terra nunca mais pecar. Perdoai-me pelo amor que desde sempre me tiveste, pelas agonias que sobre a terra sentistes, pelos tormentos que padecestes em vossa paixão e morte, pelo sangue que derramastes, pela vossa infinita misericórdia.



Amém.



Pai-Nosso - Ave-Maria - Glória ao Pai...



Nosso Senhor da Boa Morte tende piedade de nós!

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Novena de Nosso Senhor da Boa Morte (3º dia)


Hoje é o terceiro dia da novena em que dedicamos nossas orações e penitências aos enfermos, e principalmente os que se encontram em estado grave em fase terminal. Todos aqueles que pela dor se unem a Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo tem a missão concedida pela permissão divina de reparar seus pecados e os pecados de seus irmãos.


A enfermidade é um mistério, no qual unimos nossos sofrimentos aos da Paixão de Cristo. São Paulo em uma de suas cartas acrescenta que a dor e o sofrimento são um acréscimo ao que faltou na Paixão de Nosso Senhor.

Elevamos pois, nossas preces ao Cristo das chagas, rogando a ele pelos enfermos. Peçamos que Deus lhes conceda a cura ou que lhes dê o consolo neste momento tão difícil.


+ Em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo. Amém.






Senhor meu Jesus Cristo, pelo muito que padecestes pregado na Cruz, principalmente naquela hora em que vossa alma santíssima saiu do vosso corpo santíssimo, vos peço que tenhais misericórdia se mim.Amém.



Deus te Salve ó Cruz preciosa; por ti me salve que em ti me remiu!






Senhor, tende piedade de nós.


Jesus Cristo, tende piedade de nós.


Senhor, tende piedade de nós.


Jesus Cristo, ouvi-nos.


Jesus Cristo, atendei-nos.


Pai Celeste que sois Deus, tende piedade de nós.


Filho, redentor do mundo, que sois Deus.


Espírito Santo, que sois Deus,


Santíssima Trindade, que sois um só Deus,


Jesus Filho de Deus vivo,


Jesus, esplendor do Pai,


Jesus, pureza da luz eterna,


Jesus, Rei da glória,


Jesus, sol de justiça,


Jesus, Filho da Virgem Maria,


Jesus amável,


Jesus admirável,


Jesus, Deus forte,


Jesus, Pai do futuro século,


Jesus, Anjo do grande conselho,


Jesus poderosíssimo,


Jesus pacientíssimo,


Jesus obedientíssimo,


Jesus, brando e humilde de coração


Jesus, amante da castidade,


Jesus, amador nosso,


Jesus, Deus da paz,


Jesus, autor da vida,


Jesus, exemplar das virtudes,


Jesus, zelador das almas,


Jesus, nosso Deus,


Jesus, nosso refúgio,


Jesus, pai dos pobres,


Jesus, tesouro dos fiéis,


Jesus, bom Pastor,


Jesus, verdadeira luz,


Jesus, Sabedoria eterna,


Jesus, bondade infinita,


Jesus, nosso caminho e nossa vida,


Jesus, alegria dos Anjos,


Jesus, Rei dos Patriarcas,


Jesus, Mestre dos Apóstolos,


Jesus, Doutor dos evagelistas,


Jesus, fortaleza dos Mártires,


Jesus, luz dos Confessores


Jesus, pureza das virgens,


Jesus, coroa de todos os santos,


Sede-nos propício: perdoai-nos, Jesus.


Sede-nos propício, ouví-nos, Jesus.


De todo o mal, livrai-nos Jesus.


De todo o pecado,


Da vossa ira,


Das cidades do demônio,


Do espírito da impureza,


Da morte eterna,


Do desprezo das vossas inspirações,


Pelo mistério da vossa santa Encarnação,


Pela vossa natividade,


Pela vossa infância,


Por toda a vossa santíssima vida,


Pelos vossos trabalhos,


Pela vossa agonia e pela vossa paixão,


Pela vossa cruz e pelo vosso desamparo,


Pelas nossas angústias,


Pela vossa morte e pela vossa sepultura,


Pela vossa ressurreição,


Pela vossa ascensão,


Pela vossa instituição da santíssima Eucaristia.


Pelas vossas alegrias,


Pela vossa glória,


Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, perdoai-nos Jesus.


Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, ouvi-nos Jesus.


Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós, Jesus.


Jesus, ouvi-nos.


Jesus, atendei-nos.





Oremos: Senhor Jesus Cristo que dissestes: Pedi e recebereis; buscais e achareis; batei e abrir-se-vos-á,nos vos suplicamos que concedas a nós, que vo-lo pedimos, os sentimentos afetivos de vosso divino amor, a fim de que nós de todo coração e que esse amor transceda por nossas ações, sem que deixemos de vos amar. Permiti que tenhamos sempre, Senhor , um igual temor e amor pelo vosso santo nome; pois não deixais de governar aqueles que estabeleceis na firmeza do vosso amor.Vós que viveis e reinais pelos séculos dos séculos.





Amem.






(Oração em Latim - O mesmo texto rezado anteriormente)






Kyrie, eleison.


Christe, eleison.


Kyrie, eleison.


Iesu, audi nos.


Iesu, exaudi nos.


Pater de caelis, Deus, miserere nobis.


Fili, Redemptor mundi, Deus,


Spiritus Sancte, Deus,


Sancta Trinitas, unus Deus,


Iesu, Fili Dei vivi


Iesu, splendor Patris,


Iesu, candor lucis aeternae,


Iesu, rex gloriae,


Iesu, sol iustitiae,


Iesu, Fili Mariae Virginis,


Iesu, amabilis,


Iesu, admirabilis,


Iesu, Deus fortis,


Iesu, pater futuri saeculi,


Iesu, magni consilii angele,


Iesu potentissime,


Iesu patientissime,


Iesu obedientissime,


Iesu, mitis et humilis corde,


Iesu, amator castitatis,


Iesu, amator noster,


Iesu, Deus pacis,


Iesu, auctor vitae,


Iesu, exemplar virtutum,


Iesu, zelator animarum,


Iesu, Deus noster,


Iesu, refugium nostrum,


Iesu, pater pauperum,


Iesu, thesaure fidelium,


Iesu, bone pastor,


Iesu, lux vera,


Iesu, sapientia aeternae,


Iesu, bonitas infinita,


Iesu, via et vita nostra,


Iesu, gaudium Angelorum,


Iesu, rex Patriarcharum,


Iesu, magister Apostolorum,


Iesu, doctor Evangelistarum,


Iesu, fortitudo Martyrum,


Iesu, lumen Confessorum,


Iesu, puritas Virginum,


Iesu, corona Sanctorum omnium,


Propitius esto, parce nobis, Iesu.


Propitius esto, exaudi nos, Iesu.


Ab omni malo, libera nos, Iesu.


Ab omni peccato,


Ab ira tua,


Ab insidias diaboli,


A spiritu fornicationis,


A morte perpetua,


A neglectu inspirationeum tuarum,


Per mysterium sanctae Incarnationis tuae,


Per nativitatem tuam,


Per infantiam tuam,


Per divinissimam vitam tuam,


Per labores tuos,


Per agoniam et passionem tuam,


Per crucem et derelictionem tuam,


Per languores tuos,


Per mortem et sepulturam tuam,


Per resurrectionem tuam,


Per ascensionem tuam,


Per sanctissimae Eucharistiae institutionem tuam,


Per gaudia tua,Per gloriam tuam,


Agnus Dei, qui tollis peccata mundi,parce nobis, Domine.


Agnus Dei, qui tollis peccata mundi,exaudi nos, Iesu.


Agnus Dei, qui tollis peccata mundi,miserere nobis, Iesu.


Iesu, audi nos.


Iesu, exaudi nos.





Oremus: Domine Iesu Chiristi, qui dixisti: Petite, et accipietis; quaeriti, et invenietis; pulsate et aperietur vobis; quesumus da nobis, petentibus,divinissimi tui amoris affectum, ut te todo corde, ore et opere diligamus et a tua nunquam laude cessemus. Sancti nominis tui, Domine, timorem pariter et amorem facnos habere perpetuum. quia nunquan tua gubernatione destituis,quos in soliditare tuae dilectionis instituis. Qui vivis et regnas in saecula saeculorum.





Amén.






Amorosíssimo Jesus, aqui tende aos vossos pés este ingrato pecador, que vem fugindo das cruéis tempestades do mundo, que lhe originaram seus pecados. Mas que confusão não me cerca este coração distraído tendo-me colocado diante de vossa presença? Não me negueis, por indigno, o que vos peço como filho que vos ama.






Espero que vos mova a compaixão o mesmo motivo que iria mover vossa justiça. Aqui aos vossos pés, com os olhos nas vossas chagas, me pesa, Senhor, dos agravos que vos tenho feito. Andei cego pelo caminho da perdição, correndo atrás dos vícios; mas agora na mais sentidas lágrimas quero afogar minhas culpas; nos mais veementes suspiros quero sepultar meus desejos. Pesa-me, meu Pai, de vos ter ofendido. Pesa-me meu Pai de vos ter agravado, por serdes sumamente bom; mas proponho-vos diante do céu e da terra nunca mais pecar. Perdoai-me pelo amor que desde sempre me tiveste, pelas agonias que sobre a terra sentistes, pelos tormentos que padecestes em vossa paixão e morte, pelo sangue que derramastes, pela vossa infinita misericórdia.






Amém.






Pai-Nosso - Ave-Maria - Glória ao Pai...






Nosso Senhor da Boa Morte tende piedade de nós!

Catecismo Online: "Subiu aos céus e está sentado a direita de Deus Pai Todo-Poderoso" (Parte I)



Ao contemplar, cheio do Espírito de Deus, a ascensão de Nosso Senhor, o profeta Davi exorta o mundo inteiro a celebrar seu triunfo, em transporte de suma alegria e satisfação. "Nações todas, diz ele, batei palmas, louvai a Deus em cantos de alegria! Subiu Deus no meio das aclamações" (Sal 46,6-2).



A explicação deste sexto artigo, cujo objeto versa este Grandioso Mistério, deve pois começar pela primeira parte, e descortinar toda a sua significação.




A respeito de Jesus Cristo, devem os fiéis crer sem a menor dúvida, que ele, consumar o mistério de nossa Redenção, subiu aos céus enquanto homem, com corpo e alma; em quanto Deus, nunca lá se ausentou, pois que enche todos os lugares com sua Divindade.




Todavia, Cristo subiu aos céus por virtude própria, não arrebatado por força estranha, como Elias que fora arrebatado num carro de fogo, nem como Habacuc ou o diácono Filipe que, levados dos ares por uma força divina, venceram as distâncias de terras de terras longíquas.




Entretanto não subiu aos céus só como Deus por sua própria virtude da Onipotência divina, mas também em sua condição de homem. Isso não poderia acontecer por força da natureza; mas, pela virtude que estava munida, podia a alma gloriosa de Cristo mover o corpo a seu agrado. Tendo já a posse da glória, o corpo obedecia sem dificuldade, a direção que a alma dava a seus movimentos. Desta maneira é que acreditamos que Cristo subiu aos céus, por virtude própria, como Deus e como homem.




Na segunda parte do artigo vem as palavras: "Está sentado a direita de Deus Pai". Esta expressão encerra uma figura de linguagem, muito usada nas escrituras. Para maior facilidade de compreensão, atribuímos a Deus afetos e membros humanos, apesar de não podermos imaginar nada de corpóreo em Deus, porque é espírito.




Mas, como nas relações sociais julgamos dar maior honra a quem colocamos à direita, assim aplicamos o mesmo princípio as relações do céu. Confessamos que está a direita do Pai, para exprimir a glória que Cristo, como homem, alcançou acima de todas as criaturas.




O "estar sentado" não exprime aqui uma postura do corpo; põe em evidência a posse segura e inabalável do régio poder e de sua glória infinita, que ele recebeu de seu Pai.




Disso fala o Apóstolo: "Ressuscitou-o da morte, e colocou-o a sua direita no céu, acima de todos os principados e potestades, virtudes e dominações, e de todas as dignidades que possa haver não só neste mundo, mas também no mundo futuro. Pôs-lhes aos pés todas as criaturas" (Efe 1,20).




Destas palavras inferimos que tal glória é tão própria e particular do Senhor, que não pode convir em nenhuma outra natureza criada. Eis por que declara o Apóstolo em outra passagem: "A qual os anjos disse jamais: Senta a minha direita?" (Heb 1,13).




(Fonte: Catecismo da Igreja Católica - 1962 - Ed. Vozes)

propaganda Ant-aborto!


segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Novena de Nosso Senhor da Boa Morte (2º dia)


Peçamos hoje a Cristo Nosso Senhor pelo perdão dos nossos pecados. Rezemos para que Deus tenha misericórdia de nós e para que nos afaste da malícia e dos desejos perigosos. Que Deus nos ilumine para que nossos corações amem o que é verdadeiro, santo e justo. Que nossos corações estejam no alto e assim não se rebaixem para amar as coisas inferiores. Toda vez que fazemos uma opção pelo pecado estamos optando por algo inferior a Deus e assim dando preferência as coisas fúteis e corruptíveis.

Deus é a nossa única e verdadeira felicidade. Olhemos para a cruz e corpo do Senhor morto e penalizado pelos nossos erros e busquemos nos assemelhar com os exemplos que o nosso Divino Mestre nos deixou. Busquemos compreender que todos os males da vida são conseqüências dos nossos pecados.

+ Em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo. Amém.


Senhor meu Jesus Cristo, pelo muito que padecestes pregado na Cruz, principalmente naquela hora em que vossa alma santíssima saiu do vosso corpo santíssimo, vos peço que tenhais misericórdia se mim.Amém.

Deus te Salve ó Cruz preciosa; por ti me salve que em ti me remiu!


Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, ouvi-nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.
Pai Celeste que sois Deus, tende piedade de nós.
Filho, redentor do mundo, que sois Deus.
Espírito Santo, que sois Deus,
Santíssima Trindade, que sois um só Deus,
Jesus Filho de Deus vivo,
Jesus, esplendor do Pai,
Jesus, pureza da luz eterna,
Jesus, Rei da glória,
Jesus, sol de justiça,
Jesus, Filho da Virgem Maria,
Jesus amável,
Jesus admirável,
Jesus, Deus forte,
Jesus, Pai do futuro século,
Jesus, Anjo do grande conselho,
Jesus poderosíssimo,
Jesus pacientíssimo,
Jesus obedientíssimo,
Jesus, brando e humilde de coração
Jesus, amante da castidade,
Jesus, amador nosso,
Jesus, Deus da paz,
Jesus, autor da vida,
Jesus, exemplar das virtudes,
Jesus, zelador das almas,
Jesus, nosso Deus,
Jesus, nosso refúgio,
Jesus, pai dos pobres,
Jesus, tesouro dos fiéis,
Jesus, bom Pastor,
Jesus, verdadeira luz,
Jesus, Sabedoria eterna,
Jesus, bondade infinita,
Jesus, nosso caminho e nossa vida,
Jesus, alegria dos Anjos,
Jesus, Rei dos Patriarcas,
Jesus, Mestre dos Apóstolos,
Jesus, Doutor dos evagelistas,
Jesus, fortaleza dos Mártires,
Jesus, luz dos Confessores
Jesus, pureza das virgens,
Jesus, coroa de todos os santos,
Sede-nos propício: perdoai-nos, Jesus.
Sede-nos propício, ouví-nos, Jesus.
De todo o mal, livrai-nos Jesus.
De todo o pecado,
Da vossa ira,
Das cidades do demônio,
Do espírito da impureza,
Da morte eterna,
Do desprezo das vossas inspirações,
Pelo mistério da vossa santa Encarnação,
Pela vossa natividade,
Pela vossa infância,
Por toda a vossa santíssima vida,
Pelos vossos trabalhos,
Pela vossa agonia e pela vossa paixão,
Pela vossa cruz e pelo vosso desamparo,
Pelas nossas angústias,
Pela vossa morte e pela vossa sepultura,
Pela vossa ressurreição,
Pela vossa ascensão,
Pela vossa instituição da santíssima Eucaristia.
Pelas vossas alegrias,
Pela vossa glória,
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, perdoai-nos Jesus.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, ouvi-nos Jesus.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós, Jesus.
Jesus, ouvi-nos.
Jesus, atendei-nos.

Oremos: Senhor Jesus Cristo que dissestes: Pedi e recebereis; buscais e achareis; batei e abrir-se-vos-á,nos vos suplicamos que concedas a nós, que vo-lo pedimos, os sentimentos afetivos de vosso divino amor, a fim de que nós de todo coração e que esse amor transceda por nossas ações, sem que deixemos de vos amar. Permiti que tenhamos sempre, Senhor , um igual temor e amor pelo vosso santo nome; pois não deixais de governar aqueles que estabeleceis na firmeza do vosso amor.Vós que viveis e reinais pelos séculos dos séculos.

Amem.


(Oração em Latim - O mesmo texto rezado anteriormente)


Kyrie, eleison.
Christe, eleison.
Kyrie, eleison.
Iesu, audi nos.
Iesu, exaudi nos.
Pater de caelis, Deus, miserere nobis.
Fili, Redemptor mundi, Deus,
Spiritus Sancte, Deus,
Sancta Trinitas, unus Deus,
Iesu, Fili Dei vivi
Iesu, splendor Patris,
Iesu, candor lucis aeternae,
Iesu, rex gloriae,
Iesu, sol iustitiae,
Iesu, Fili Mariae Virginis,
Iesu, amabilis,
Iesu, admirabilis,
Iesu, Deus fortis,
Iesu, pater futuri saeculi,
Iesu, magni consilii angele,
Iesu potentissime,
Iesu patientissime,
Iesu obedientissime,
Iesu, mitis et humilis corde,
Iesu, amator castitatis,
Iesu, amator noster,
Iesu, Deus pacis,
Iesu, auctor vitae,
Iesu, exemplar virtutum,
Iesu, zelator animarum,
Iesu, Deus noster,
Iesu, refugium nostrum,
Iesu, pater pauperum,
Iesu, thesaure fidelium,
Iesu, bone pastor,
Iesu, lux vera,
Iesu, sapientia aeternae,
Iesu, bonitas infinita,
Iesu, via et vita nostra,
Iesu, gaudium Angelorum,
Iesu, rex Patriarcharum,
Iesu, magister Apostolorum,
Iesu, doctor Evangelistarum,
Iesu, fortitudo Martyrum,
Iesu, lumen Confessorum,
Iesu, puritas Virginum,
Iesu, corona Sanctorum omnium,
Propitius esto, parce nobis, Iesu.
Propitius esto, exaudi nos, Iesu.
Ab omni malo, libera nos, Iesu.
Ab omni peccato,
Ab ira tua,
Ab insidias diaboli,
A spiritu fornicationis,
A morte perpetua,
A neglectu inspirationeum tuarum,
Per mysterium sanctae Incarnationis tuae,
Per nativitatem tuam,
Per infantiam tuam,
Per divinissimam vitam tuam,
Per labores tuos,
Per agoniam et passionem tuam,
Per crucem et derelictionem tuam,
Per languores tuos,
Per mortem et sepulturam tuam,
Per resurrectionem tuam,
Per ascensionem tuam,
Per sanctissimae Eucharistiae institutionem tuam,
Per gaudia tua,Per gloriam tuam,
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi,parce nobis, Domine.
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi,exaudi nos, Iesu.
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi,miserere nobis, Iesu.
Iesu, audi nos.
Iesu, exaudi nos.

Oremus: Domine Iesu Chiristi, qui dixisti: Petite, et accipietis; quaeriti, et invenietis; pulsate et aperietur vobis; quesumus da nobis, petentibus,divinissimi tui amoris affectum, ut te todo corde, ore et opere diligamus et a tua nunquam laude cessemus. Sancti nominis tui, Domine, timorem pariter et amorem facnos habere perpetuum. quia nunquan tua gubernatione destituis,quos in soliditare tuae dilectionis instituis. Qui vivis et regnas in saecula saeculorum.

Amén.


Amorosíssimo Jesus, aqui tende aos vossos pés este ingrato pecador, que vem fugindo das cruéis tempestades do mundo, que lhe originaram seus pecados. Mas que confusão não me cerca este coração distraído tendo-me colocado diante de vossa presença? Não me negueis, por indigno, o que vos peço como filho que vos ama.


Espero que vos mova a compaixão o mesmo motivo que iria mover vossa justiça. Aqui aos vossos pés, com os olhos nas vossas chagas, me pesa, Senhor, dos agravos que vos tenho feito. Andei cego pelo caminho da perdição, correndo atrás dos vícios; mas agora na mais sentidas lágrimas quero afogar minhas culpas; nos mais veementes suspiros quero sepultar meus desejos. Pesa-me, meu Pai, de vos ter ofendido. Pesa-me meu Pai de vos ter agravado, por serdes sumamente bom; mas proponho-vos diante do céu e da terra nunca mais pecar. Perdoai-me pelo amor que desde sempre me tiveste, pelas agonias que sobre a terra sentistes, pelos tormentos que padecestes em vossa paixão e morte, pelo sangue que derramastes, pela vossa infinita misericórdia.


Amém.


Pai-Nosso - Ave-Maria - Glória ao Pai...


Nosso Senhor da Boa Morte tende piedade de nós!

Novena de Nosso Senhor da Boa Morte (1º dia)



Hoje iniciamos a novena do Senhor da Boa Morte que em algumas localidades é conhecido como Senhor do Bom Fim. Esta novena está sendo proposta para os católicos que seguindo os mandamentos de Deus e da Santa Mãe Igreja pretende-se opor as orgias, os malefícios e os exageros do Carnaval. Todo ano nove dias antes da Quarta-feira de Cinzas iremos propor ao leitor cristão a novena em desagravo as ofensas feitas a Deus neste período do ano.


A devoção de Nosso Senhor da Boa morte nasceu de um tempo em que a peste e a fome dizimavam milhares de pessoas. E a necessidade de pedir ao Cristo na Cruz ter uma morte piedosa e sem dores era uma necessidade de todos. Uma grande devoção de Portugal que chegou ao Brasil através dos colonizadores portugueses. Na Bahia é invocado como Nosso Senhor do Bonfim (Bom fim = boa morte). Peçamos a Nosso Senhor a graça de uma santa morte e de termos nesta vida o consolo necessário para suportarmos os sofrimentos e as tristezas que ela nos vem trazer.


+ Em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo. Amém.


Senhor meu Jesus Cristo, pelo muito que padecestes pregado na Cruz, principalmente naquela hora em que vossa alma santíssima saiu do vosso corpo santíssimo, vos peço que tenhais misericórdia se mim. Amém.


Deus te Salve ó Cruz preciosa; por ti me salve que em ti me remiu!



Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, ouvi-nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.
Pai Celeste que sois Deus, tende piedade de nós.
Filho, redentor do mundo, que sois Deus.
Espírito Santo, que sois Deus,
Santíssima Trindade, que sois um só Deus,
Jesus Filho de Deus vivo,
Jesus, esplendor do Pai,
Jesus, pureza da luz eterna,
Jesus, Rei da glória,
Jesus, sol de justiça,
Jesus, Filho da Virgem Maria,
Jesus amável,
Jesus admirável,
Jesus, Deus forte,
Jesus, Pai do futuro século,
Jesus, Anjo do grande conselho,
Jesus poderosíssimo,
Jesus pacientíssimo,
Jesus obedientíssimo,
Jesus, brando e humilde de coração
Jesus, amante da castidade,
Jesus, amador nosso,
Jesus, Deus da paz,
Jesus, autor da vida,
Jesus, exemplar das virtudes,
Jesus, zelador das almas,
Jesus, nosso Deus,
Jesus, nosso refúgio,
Jesus, pai dos pobres,
Jesus, tesouro dos fiéis,
Jesus, bom Pastor,
Jesus, verdadeira luz,
Jesus, Sabedoria eterna,
Jesus, bondade infinita,
Jesus, nosso caminho e nossa vida,
Jesus, alegria dos Anjos,
Jesus, Rei dos Patriarcas,
Jesus, Mestre dos Apóstolos,
Jesus, Doutor dos evagelistas,
Jesus, fortaleza dos Mártires,
Jesus, luz dos Confessores
Jesus, pureza das virgens,
Jesus, coroa de todos os santos,
Sede-nos propício: perdoai-nos, Jesus.
Sede-nos propício, ouví-nos, Jesus.
De todo o mal, livrai-nos Jesus.
De todo o pecado,
Da vossa ira,
Das cidades do demônio,
Do espírito da impureza,
Da morte eterna,
Do desprezo das vossas inspirações,
Pelo mistério da vossa santa Encarnação,
Pela vossa natividade,
Pela vossa infância,
Por toda a vossa santíssima vida,
Pelos vossos trabalhos,
Pela vossa agonia e pela vossa paixão,
Pela vossa cruz e pelo vosso desamparo,
Pelas nossas angústias,
Pela vossa morte e pela vossa sepultura,
Pela vossa ressurreição,
Pela vossa ascensão,
Pela vossa instituição da santíssima Eucaristia.
Pelas vossas alegrias,
Pela vossa glória,

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, perdoai-nos Jesus.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, ouvi-nos Jesus.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós, Jesus.

Jesus, ouvi-nos.
Jesus, atendei-nos.

Oremos: Senhor Jesus Cristo que dissestes: Pedi e recebereis; buscais e achareis; batei e abrir-se-vos-á,nos vos suplicamos que concedas a nós, que vo-lo pedimos, os sentimentos afetivos de vosso divino amor, a fim de que nós de todo coração e que esse amor transceda por nossas ações, sem que deixemos de vos amar. Permiti que tenhamos sempre, Senhor , um igual temor e amor pelo vosso santo nome; pois não deixais de governar aqueles que estabeleceis na firmeza do vosso amor.Vós que viveis e reinais pelos séculos dos séculos.
Amem.

(Oração em Latim - O mesmo texto rezado anteriormente)

Kyrie, eleison.
Christe, eleison.
Kyrie, eleison.
Iesu, audi nos.
Iesu, exaudi nos.
Pater de caelis, Deus, miserere nobis.

Fili, Redemptor mundi, Deus,
Spiritus Sancte, Deus,
Sancta Trinitas, unus Deus,
Iesu, Fili Dei vivi
Iesu, splendor Patris,
Iesu, candor lucis aeternae,
Iesu, rex gloriae,
Iesu, sol iustitiae,
Iesu, Fili Mariae Virginis,
Iesu, amabilis,
Iesu, admirabilis,
Iesu, Deus fortis,
Iesu, pater futuri saeculi,
Iesu, magni consilii angele,
Iesu potentissime,
Iesu patientissime,
Iesu obedientissime,
Iesu, mitis et humilis corde,
Iesu, amator castitatis,
Iesu, amator noster,
Iesu, Deus pacis,
Iesu, auctor vitae,
Iesu, exemplar virtutum,
Iesu, zelator animarum,
Iesu, Deus noster,
Iesu, refugium nostrum,
Iesu, pater pauperum,
Iesu, thesaure fidelium,
Iesu, bone pastor,
Iesu, lux vera,
Iesu, sapientia aeternae,
Iesu, bonitas infinita,
Iesu, via et vita nostra,
Iesu, gaudium Angelorum,
Iesu, rex Patriarcharum,
Iesu, magister Apostolorum,
Iesu, doctor Evangelistarum,
Iesu, fortitudo Martyrum,
Iesu, lumen Confessorum,
Iesu, puritas Virginum,
Iesu, corona Sanctorum omnium,
Propitius esto, parce nobis, Iesu.
Propitius esto, exaudi nos, Iesu.
Ab omni malo, libera nos, Iesu.
Ab omni peccato,
Ab ira tua,
Ab insidias diaboli,
A spiritu fornicationis,
A morte perpetua,
A neglectu inspirationeum tuarum,
Per mysterium sanctae Incarnationis tuae,
Per nativitatem tuam,
Per infantiam tuam,
Per divinissimam vitam tuam,
Per labores tuos,
Per agoniam et passionem tuam,
Per crucem et derelictionem tuam,
Per languores tuos,
Per mortem et sepulturam tuam,
Per resurrectionem tuam,
Per ascensionem tuam,
Per sanctissimae Eucharistiae institutionem tuam,
Per gaudia tua,
Per gloriam tuam,

Agnus Dei, qui tollis peccata mundi,
parce nobis, Domine.
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi,
exaudi nos, Iesu.
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi,
miserere nobis, Iesu.

Iesu, audi nos.
Iesu, exaudi nos.

Oremus: Domine Iesu Chiristi, qui dixisti: Petite, et accipietis; quaeriti, et invenietis; pulsate et aperietur vobis; quesumus da nobis, petentibus,divinissimi tui amoris affectum, ut te todo corde, ore et opere diligamus et a tua nunquam laude cessemus. Sancti nominis tui, Domine, timorem pariter et amorem facnos habere perpetuum. quia nunquan tua gubernatione destituis,quos in soliditare tuae dilectionis instituis. Qui vivis et regnas in saecula saeculorum.


Amén.




Amoríssimo Jesus, aqui tende aos vossos pés este ingrato pecador, que vem fugindo das cruéis tempestades do mundo, que lhe originaram seus pecado. Mas que confusão não me cerca este coração distraído tendo-me colocado diante de vossa presença? Não me negueis, por indígno, o que vos peço como filho que vos ama.


Espero que vos mova a compaixão o mesmo motivo que iria mover vossa justiça. Aqui aos vossos pés, com os olhos nas vossas chagas, me pesa, Senhor, dos agravos que vos tenho feito. Andei cego pelo caminho da perdição, correndo atrás dos vícios; mas agora na mais sentidas lágrimas quero afogar minhas culpas; nos mais veementesn suspiros quero sepultar meus desejos. Pesa-me, meu Pai, de vos ter ofendido. Pesa-me meu Pai de vos ter agravado, por serdes sumamente bom; mas proponho-vos diante do céu e da terra nunca mais pecar. Perdoai-me pelo amor que desde sempre me tiveste, pelas agonias que sobre a terra sentistes, pelos tormentos que padecestes em vossa paixão e morte, pelo sangue que derramastes, pela vossa infinita misericórdia.


Amém.


Pai-Nosso - Ave-Maria - Glória ao Pai...


Nosso Senhor da Boa Morte tende piedade de nós!

Liturgia: Missa - Segunda parte, Introdução




A introdução constituía nos primórdios do cristianismo, a parte mais importante da missa dos catecúmenos. Constava, efetivamente, de várias leituras separadas pelo canto de salmos.




Foram estes usos que deram origem à segunda parte da missa. Compreende: 1º a Epístola; 2º o Gradual com Aleluia ou Trato; 3º Evangelho; 4º Sermão; e 5º Credo.




Epístola: Tira-se do Antigo como do Novo Testamento. Quem canta a Epístola é o subdiácono e no fim o acólito tem que responder "Deo gratias". Demos graças a Deus. Ou seja devemos agradecer a Deus pelo ensinamento que nos foi dado.



Gradual; Aleluia; Trato; Prosa; e Seqüência: O gradual é o salmo que se cantava primitivamente antes da leitura da epístola e do evangelho, e foi substituído por dois versículos que geralmente é extraído dos salmos. Gradual quer dizer degrau, já que este salmo era cantado pelo diácono nos degraus do púlpito.



Aleluia: De ordinário acompanhavam o gradual dois aleluias, um versículo da sagrada escritura e o terceiro aleluia. No tempo da Páscoa, não se diz gradual. São quatro aleluias em vez de três, e dois versículos. O Aleluia é mais para demonstrar júbilo e triunfo. Aleluia vem do Hebraico e quer dizer louvem e adorem a Deus. A prosa e a seqüência têm sua origem antes do século IX. No século IX virão a necessidade de introduzir melodia a prosa. A Prosa tem esse nome, porque não sujeitavam às exigências da metrificação latina, ou seqüências porque, de fato é uma continuação ou um prolongamento do aleluia. Eram muitas as seqüências existentes na Idade média. São Pio V suprimiu todas menos quatro: Victime Paschali. Veni Sancte Spiritus, Lauda Sion e o Dies irae. No século XVIII, acrescentaram a Stabat Mater Dolorosa, para a Festa de Nossa Senhora das Dores.



Evangelho: Nas missas solenes, o diácono canta. As velas e o incenso significam a revelação de Nosso Senhor Jesus Cristo é a luz do mundo. Todos os outros gestos e reverências são símbolos do profundo respeito que deve o cristão ter para com Nosso Senhor e sua verdade.



Sermão: Ensinamento e explicação que o celebrante faz em relação a Sagrada Escritura e da festa do dia aos fiéis presentes.



Credo: Introduzido no século VI na missa, sua origem tem no século II como um código de fidelidade para com Deus e sua Igreja. Devido ao grande número de heresias a Igreja criou o Credo para proteger os fiéis menos instruídos contra os erros. A primeira vez em que foi cantado, foi no ano 510 pelo bispo de Constantinopla em protesto contra os hereges. Ao recitarmos o credo na Missa estamos realizando uma Afirmação firme a fé católica contra as heresias.



P: Credo in unum Deum, Patrem omnipotentem, factorem coeli et terrae, visibilium omnium et invisibilium. Et in unum Dominum Jesum Christum, Filium Dei unigenitum. Et ex Patre natum ante omnia saecula. Deum de Deo, lumen de lumine, Deum verum de Deo vero. Genitum, non factum, consubstantialem Patri: per quem omnia facta sunt. Qui propter nos homines, et propter nostram salutem descendit de coelis. Et incarnatus est de Spiritu Sancto ex Maria Virgine: ET HOMO FACTUS EST (Ajoelhando-se). Crucifixus etiam pro nobis: sub Pontio Pilato passus, et sepultus est. Et resurrexit tertia die, secundum Scripturas. Et ascendit in coelum: sedet ad dexteram Patris. Et iterum venturus est cum gloria, judicare vivos et mortuos: cujus regni non erit finis. Et in Spiritum Sanctum, Dominum et vivificantem: qui ex Patre Filioque procedit. Qui cum Patre et Filio simul adoratur et conglorificatur: qui locutus est per prophetas. Et unam, sanctam, Catholicam et Apostolicam Ecclesiam. Confiteor unum baptisma in remissionem peccatorum. Et exspecto resurrectionem mortuorum. Et vitam venturi saeculi. Amen.






domingo, 27 de janeiro de 2008

Domingo da Sexagésima: "A semente é a palavra de Deus" (Ev.)




O breviário Romano fala-nos de Noé durante toda esta semana. "Vendo Deus que era grande a malícia do homem sobre a Terra, disse: Vou exterminar o homem que criei. Faze pois, uma arca de madeira e entra nela, que estabelecerei contigo a minha aliança. E Deus fez chover então sobre a terra quarenta dias e quarenta noites. A arca flutuava à superfície das águas que se elevaram acima das grandes montanhas. Os homens pereceram e Noé salvou-se com os seus na arca... Passou algum tempo e Noé soltou uma pomba, que regressou com um ramo de oliveira. Noé compreendeu que as águas tinham baixado. E então disse-lhe Deus: Sai da arca e multiplicai-vos sobre a Terra. E Noé elevou um altar e elevou a Deus um sacrifício de agradável odor".







Esta narração referida ao mistério Pascal, é comentada por uma bela oração de Sábado Santo. Ei-la: "A justa cólera do Criador submergiu o mundo culpado nas águas da vingança, e só Noé se salvou na arca. Depois a virtude admirável do amor lavou o universo no sangue". Foi no madeiro da arca que salvou o gênero humano e foi no madeiro da Cruz que resgatou o mundo. "Só tu foste digna, diz a Igreja ao falar da Cruz, de seres para o mundo naufragado a arca que o leva ao porto". A porta aberta no costado da arca e por onde entraram os que se haviam de salvar do dilúvio é-nos representada na liturgia como figura do mistério da redenção; porque do lado de Jesus saiu sangue e água, simbolizando os sacramentos do Batismo e da Eucaristia.







"Ó Deus que, lavando nas águas os crimes do mundo corrompido, nos deste no mesmo dilúvio a imagem da regeneração, para que um mesmo elemento fosse o fim dos vícios e a imagem das virtudes, olhai com bondade a vossa Igreja e multiplicai nela a vossa intervenção regeneradora, abrindo por toda a terra as fontes batismais que devem renovar os povos". No tempo de Noé, diz São Pedro, salvaram-se do dilúvio somente oito pessoas e isto é símbolo do batismo que nos salva a todos. E quando o bispo benze na quinta-feira santa o azeite de oliveira que há de servir para os sacramentos, diz: "Quando os crimes do mundo já tinham sido expiados nas águas do dilúvio, veio uma pomba anunciar a paz na Terra com um ramo de oliveira no bico, que era o símbolo das graças que nos reservava o futuro. Este símbolo realiza-se, quando a unção do azeite, depois que a água do Batismo nos lavou, nos vem dar ao rosto paz e beleza". Mas no que Noé assemelha mais com Jesus Cristo é na missão que Deus lhe confiou na missão de ser pai de numerosos povos. Noé é, com efeito, o segundo progenitor do gênero humano e o símbolo da vida renascida. "O ramo da oliveira simboliza a feliz fecundidade que Deus concederia a Noé depois de sair da arca, e a arca é denominada no ofício de hoje por Santo Ambrósio "seminarium", quer dizer, lugar onde se guarda a semente da vida que deve recobrir o mundo. Ora, bem melhor que Noé, Jesus repovoou o mundo com a prodigiosa descendência das almas crentes e fiéis a Deus. É por isso que a oração da profecia do Sábado Santo pede ao Senhor que realize seus desígnios eternos e complete na paz a obra da redenção do homem: "...possa sentir e ver no mundo a reparação do que estava caído e a renovação do que envelhecera e todas as coisas restabelecidas na integridade primeira por aquele que deu a todos o ser".







No princípio foi pelo Verbo, quer dizer, pela palavra que Deus fez o mundo. E foi pela pregação do Evangelho, que Jesus, o Verbo de Deus, veio regenerar os homens. Fomos regenerados, diz São Pedro, por uma semente incorruptível, que é a palavra de Deus, que nos foi anunciada pelo Evangelho. A esta luz, já vemos todo o relevo da palavra do semeador, que vem na missa de hoje.







Se no tempo de Noé os homens pereceram, diz São Paulo, foi por serem incrédulos. Noé que acreditou salvou-se na arca. Do mesmo modo, os que acreditarem a palavra do Senhor serão salvos. E São Paulo enumera na Epístola de hoje tudo o que é necessário para levar aos povos a fé no nome de Deus. Ele foi, com efeito, o pregador por excelência, o ministro de Cristo que Deus escolheu para levar aos povos os clarões da boa nova do Verbo Encarnado.



Evangelho de Domingo:



Continuação do Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas: Naquele tempo:
Havia se reunido uma grande multidão: eram pessoas vindas de várias cidades para junto dele. Ele lhes disse esta parábola:
Saiu o semeador a semear a sua semente. E ao semear, parte da semente caiu à beira do caminho; foi pisada, e as aves do céu a comeram.
Outra caiu no pedregulho; e, tendo nascido, secou, por falta de umidade.
Outra caiu entre os espinhos; cresceram com ela os espinhos, e sufocaram-na.
Outra, porém, caiu em terra boa; tendo crescido, produziu fruto cem por um. Dito isto, Jesus acrescentou alteando a voz: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!
Os seus discípulos perguntaram-lhe a significação desta parábola.
Ele respondeu: A vós é concedido conhecer os mistérios do Reino de Deus, mas aos outros se lhes fala por parábolas; de forma que vendo não vejam, e ouvindo não entendam.
Eis o que significa esta parábola: a semente é a palavra de Deus.
Os que estão à beira do caminho são aqueles que ouvem; mas depois vem o demônio e lhes tira a palavra do coração, para que não creiam nem se salvem.
Aqueles que a recebem em solo pedregoso são os ouvintes da palavra de Deus que a acolhem com alegria; mas não têm raiz, porque crêem até certo tempo, e na hora da provação a abandonam.
A que caiu entre os espinhos, estes são os que ouvem a palavra, mas prosseguindo o caminho, são sufocados pelos cuidados, riquezas e prazeres da vida, e assim os seus frutos não amadurecem.
A que caiu na terra boa são os que ouvem a palavra com coração reto e bom, retêm-na e dão fruto pela perseverança.



Lefebvre, Dom Gaspar. Missal Quotidiano e Vesperal. Bruges, Bélgica; Abadia de S. André, 1960.










sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

25 de Janeiro, Conversão do Apóstolo São Paulo



A festa litúrgica da Conversão de São Paulo Apóstolo apareceu na Igreja no século VI e é uma festa própria da festa Latina. O Martírio do apóstolo dos gentios é comemorado no dia 29 de Junho. A celebração do dia 25 de Janeiro tem por finalidade considerar as várias facetas do Apóstolo por excelência. Ele diz de si mesmo: "Eu trabalhei mais que todos os apóstolos...", Mais também: "Eu sou o menor dos apóstolos... não sou digno de ser chamado apóstolo".


Apresenta, ele mesmo, as credenciais: Viu o Senhor, Cristo Ressuscitado lhe aparecer, sendo portanto, um testemunho vivo da Ressurreição de Cristo. Naquela mesma hora em que caminhava rumo a Damasco e prostrado em terra, o Senhor lhe aparece e lhe questiona: Saulo porque me persegues? Neste exato momento o apóstolo pergunta: "Senhor o que queres que eu te faça? A partir de então Paulo passa a pregar o evangelho que antes perseguia. Em poucos segundo Jesus transformou o grande perseguidor de sua santa fé no maior propagador do Evangelho que o mundo já conheceu.


Celebremos com grande alegria a festa da Conversão de São Paulo Apóstolo, pedindo a Deus que ilumine os perseguidores de sua santa religião. Que Deus afaste de todos nós o erro da heresia e da apostasia tão presente na decadente sociedade moderna.


Fonte: Um Santo para cada dia - Mario Sgarbossa, Luigi Giovannini - Paulus - 2005 - 6ª Edição

Teologia Ascética e Mística: A Natureza da vida Cristã



A vida sobrenatural, visto ser uma participação da vida de Deus, em virtude dos merecimentos de Nosso Senhor Jesus Cristo, define-se por vezes: a vida de Deus em nós ou a vide de Jesus Cristo em nós. Estas expressões são exatas, se há o cuidado de explica-las bem, de sorte que se evite qualquer resquício de panteísmo. Efetivamente, nós não temos uma vida idêntica da de Deus ou a de Jesus Cristo, senão uma semelhança dessa vida, uma participação finita, se bem que real, dessa vida.


Podemos, pois, defini-la: uma participação da vida divina, conferida pelo Espírito Santo que habita em virtude dos méritos de Jesus Cristo, a qual devemos cultivar contra as tendências opostas.



É, pois, fácil de ver que a vida sobrenatural é uma vida, em Deus tem a parte principal, e nós a secundária. É Deus, a Santíssima Trindade (também se diz o Espírito Santo), que vem em pessoa conferir-nos a vida, pois somente ele pode nos tornas comparticipantes da sua própria vida. Comunica-no-la em virtude dos merecimentos de Jesus Cristo, que é a causa meritória, exemplar e vital da nossa santificação. É, pois, muita verdade que Deus vive em nós, que Jesus vive em nós, mas a nossas vida espiritual não é idêntica à de Deus ou a de Nosso Senhor Jesus Cristo, é distinta a elas é apenas semelhantes a uma e a outra. - A nossa vida consiste em usar os dons divinos, para vivermos em Deus e para Deus, para vivermos em união com Jesus Cristo, imitando-o; e, como a tríplice concupiscência persiste em nós, não podemos viver, senão combatendo-a a todo o transe; como, por outro lado, Deus nos dotou de um organismo sobrenatural, temos obrigação de o fazer crescer por meio dos atos meritórios e da fervorosa recepção dos sacramentos.



Tal é o sentido da definição que acabamos de dar; todo este capítulo não será mais do que a explicação e desenvolvimento dela. Ao mesmo tempo iremos tirando conclusões práticas sobre a devoção à união com o Verbo Encarnado, e até sobre a devoção à Santíssima Virgem e aos santos, conclusões que derivam das suas relações com o Verbo encarnado.



Postos que a ação de Deus e da alma se desenrolam paralelamente na vida cristã, trataremos, para mais clareza, em dois artigos sucessivos, da parte de Deus e da parte do homem.



(Fonte: Compêndio de Teologia Ascética e Mística - Ed. Apostolado da Imprensa - 1961 - 6ª edição)

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Catecismo Online: "Desceu aos infernos, e ao terceiro dia ressurgiu dos mortos" (Parte V)





Neste ponto de exposição, já podemos ver, claramente, quantas vantagens a Ressurreição de Cristo trouxe aos fiéis. . Pela ressurreição, reconhecemos que há um Deus imortal, cheio de glória, vencedor da morte e do demônio. Eis uma verdade que, a respeito de Jesus Cristo, devemos crer e professar, sem a menor hesitação.



Depois, a ressurreição de Cristo acarretou também a ressurreição do nosso corpo, já por ser causa eficiente desse mistério, já que a exemplo de Nosso Senhor todos nós devemos ressurgir.




Ora acerca da ressurreição corporal, o Apóstolo fala da seguinte maneira: "Por um homem entrou a morte, por um homem entrou também a ressurreição"(1Cor 15,21).




Em tudo quanto o fez para o mistério de nossa redenção, Deus serviu-se da humanidade de Cristo como eficaz instrumento que devia efetuar nossa própria ressurreição.




Podemos afirmar que é modelo dela, porque a ressurreição de Cristo é a mais perfeita de todas. Assim como, pela ressurreição, o corpo de Cristo de transfigurou em glória imortal, assim também nossos corpos, que antes eram fracos e mortais, ressurgirão ornados de glória e imortalidade. O Apóstolo ensina: "Esperamos como Salvador a Nosso Senhor Jesus Cristo, que há de reformar o corpo de nossa baixeza, e torná-lo semelhante ao corpo de sua glória".




Outro tanto se pode asseverar da alma, morta em conseqüência do pecado. O mesmo Apóstolo demonstra em que sentido lhe serve de modelo a ressurreição de Cristo: "Assim como Cristo ressurgiu dentre os mortos pela glória do Pai, assim também devemos andar numa vida nova. Se formos enxertados nele pela esperança de sua morte, também o seremos pela semelhança com sua ressurreição" (Rom 6,4ss).




Pouco mais adiante acrescenta: "Sabemos que Jesus Cristo, ressuscitado dentre os mortos, já não morre. A morte já não tem poder sobre ele. Morreu uma só vez, porquanto morreu pelo pecado. Mas vive, e vive para Deus. Sendo assim, levai em consideração que que vós também morreste para o pecado, mas que viveis para Deus em Cristo Jesus" (Rom 6,9-11).




Duplo são os modelos que devemos imitar da ressurreição de Cristo Jesus. O primeiro é que, após a purificação dos nossos pecados, temos de abraçar uma vida nova em que rebrilhe a pureza de costumes, a inocência, a santidade, a modéstia, a justiça, a beneficência e a humildade.




O segundo é perseverarmos de tal modo neste novo gênero de vida, que pela ajuda de Deus jamais nos afastaremos do caminho da justiça, em que entramos uma vez para sempre.




Ora, as palavras do Apóstolo não só indicam que a ressurreição de Cristo nos é proposta como modelo de ressurreição, mas significam também que nos dá a virtude de ressurgir, que nos incute a força e a mentalidade de perseverar na justiça e santidade, e de observar os mandamentos de Deus.




Em sua morte, temos não só um exemplo de como se morre ao pecado, mas conseguimos também a força de morrer efetivamente ao pecado. Sua ressurreição nos dá igualmente forças para adquirir a justiça; servindo então a Deus em piedade e santidade, andaremos naquela vida nova, para a qual ressurgimos. O principal que Nosso Senhor nos conseguiu pela sua ressurreição é poder ressurgir com eles para uma nova forma de orientação de vida, nós que antes estávamos mortos com ele, para o pecado e para o mundo.




O Apóstolo aponta-nos alguns sinais desta ressurreição, a que devemos atender de preferência.




Quando aconselha: "Se ressurgistes com Cristo, procurai o que está no alto, onde Cristo está sentado à direita de Deus" (Col 3,1); - mostra claramente que de fato ressuscitaram com Cristo aqueles que, lá onde está Cristo, procuram vida, honra, repouso e riqueza.




Acrescentando: "Tende gosto pelas coisas do alto, e não pelas que estão na terra" (Col 3,2); - dá-nos ainda outro sinal, por assim dizer, que nos permite verificar se realmente ressurgimos com Cristo" (Jo 17,24).




Como o paladar indica em geral o estado de saúde, em que se acha o corpo, assim pode ser a prova mais evidente de que o homem ressuscitou, com Jesus Cristo, para uma vida nova e espiritual, se gosta de "tudo quanto é verdadeiro, honesto, justo e santo"( Fil 4,8), e sente no íntimo do coração a doçura das coisas celestiais (Mt 6,21).




(Fonte: Catecismo da Igreja Católica - 1962 - Ed. Vozes)

Novena à Dom Bosco


Dia 31 de janeiro se completarão 120 anos da morte de Dom Bosco e por isso desde de hoje postamos a novena a esse grande Santo, baseada na coleta da Missa do dia.

Ó Deus que escolhestes o bem-aventurado João Bosco, vosso confessor, para pai e mestre da juventude e Vos dignastes constituir na vossa Igreja, por intermédio dele, uma nova família religiosa, sob o patrocínio da Virgem Maria Auxiliadora, fazei com que, inflamados no fogo do mesmo amor, nos votemos também à salvação das almas e ao Vosso santo serviço. Amem.

Pai Nosso, Ave Maria e Gloria

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Liturgia: Missa - Primeira parte, a preparação para o sacrifício




A primeira parte da missa abrange: 1º uma cerimônia preliminar, a aspersão; 2º preces aos pés do altar; 3º Intróito; 4º Kyrie eleison; 5º o Glória in excelsis; 6º Coletas.



Aspersão: É uma cerimônia preliminar que antecede, as vezes, a Missa Solene. O sacerdote atravessa a assistência, e lança-lhe água benta enquanto o côro canta:




Ant. Asperges me, Domine hyssopo et mundabor lavabis me et super nivem dealbabor miserere mei, Deus secundum magnam misericordiam tuam. Gloria Patri, et Filio, et Spiritui Sancto sicut erat in principio et nunc et semper et in saecula saeculorum Amen.




Asperges-me, Senhor com o hissopo e ficarei puro. Lava-me e ficarei mais branco que a neve. Tem piedade de mim, ó Deus segundo sua misericórdia infinita. Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, assim como era no princípio agora e sempre, por todos os séculos dos séculos. Amém




Como se vê nestas palavras, é uma cerimônia preliminar que tem por fim lembrar aos que vão assistir o santo sacrifício da missa a necessidade da pureza. Que sejam isentos de qualquer mácula, "mais alvos do que a neve". Nas missas rezadas, não há estes ritos; mas o padre, ao deixar a sacristia, toma água benta para fazer o sinal da cruz. Também os fiéis, entrando na igreja.




Salmo Judica me (Salmo 42): Depois de ter feito o sinal da cruz e recitado o versículo Introíbo, que faz de antífona, o padre começa a rezar o salmo Judica me que vai alternando com os ministros.




Este salmo que Davi compôs depois de seu crime e revolta do filho Absalão, quando ia fugindo da perseguição dos seus inimigos. O Rei Profeta exprime nele sentimentos de temor e de confiança. Anseia por voltar a Jerusalém e oferecer holocaustos ao Senhor. Treme como pecador diante do Juiz. E no entanto espera na misericórdia divina. As mesmas emoções dominam a alma do sacerdote que está para celebrar. Também a ele assusta a própria indignidade, a própria fraqueza. Porém, é maior e triunfa a confiança.




P: Judica me Deus, et discerne causam meam de gente non sancta: ab homine iniquo et doloso erue me.
R: Quia tu es Deus fortitudo mea: quare me repulisti, et quare tristis incedo, dum affligit me inimicus?
P: Emitte lucem tuam, et veritatem tuam: ipsa me deduxerunt, et adduxerunt in montem sanctum tuum, et in tabernacula tua.
R: Et introibo ad altare Dei: ad Deum qui laetificat juventutem meam.
P: Confitebor tibi in cithara Deus, Deus meus: quare tristis es anima mea, et quare conturbas me?
R: Spera in Deo, quoniam adhuc confitebor illi: salutare vultus mei, et Deus meus.
P: Gloria Patri, et Filio, et Spiritu Sancto.
R: Sicut erat in principio et nunc, et semper, et in saecula saeculorum. Amen.
P: Introibo ad altare Dei.
R: Ad Deum qui laetificat juventutem meam.
P: Adjutorium nostrum + in nomine Domini.
R: Qui fecit coelum et terram.




Confíteor. Misereator. Indulgentiam: Apesar da muita confiança que o Padre deposita na misericórdia de Deus, sabe perfeitamente que nunca será desanimada a pureza do coração de quem chega ao altar. E, por isso, reza o Confiteor:




R: Confiteor Deo omnipotenti, beatae Mariae semper virgini, beato Michaeli archangelo, beato Joanni Baptistae, sanctis Apostolis Petro et Paulo, omnibus Sanctis, et tibi, Pater, quia peccavi nimis cogitatione, verbo, et opere:mea culpa, mea culpa, mea maxima culpa. Ideo precor beatam Mariam semper virginem, beatum Michaelem archangelum, beatum Joannem Baptistam, sanctos Apostolos Petrum et Paulum, omnes Sanctos, et te, Pater, orare pro me ad Dominum Deum nostrum.




Com inclinação profunda acusa os pecados, publicamente, para melhor alcançar o perdão. Depois, o diácono e o subdiácono (os ajudantes na missa rezada) em nome dos fiéis suplicam a Deus que perdoe ao padre rezando o Misereatur:




R: Misereatur tui omnipotens Deus, et dimissis peccatis tuis, perducat te ad vitam aeternam.




Também eles rezam, por sua vez o Confiteor, e o padre reza o misereatur. A fim de atrair para si mesmo e para o povo a misericórdia divina, e o padre continua:




P: Indulgentiam, + absolutionem et remissionem peccatorum nostrorum, tribuat nobis omnipotens et misericors Dominus.
R: Amen.




O padre inclina mais uma vez implorando a misericórdia divina rezando:




P: Deus tu conversus vivificabis nos.
R: Et plebs tua laetabitur in te.
P: Ostende nobis, Domine, misericordiam tuam.
R: Et salutare tuum da nobis.
P: Domine exaudi orationem meam.
R: Et clamor meus ad te veniat.
P: Dominus vobiscum.
R: Et cum spiritu tuo.
P: Oremus.
Aufer a nobis, quaesumus Domine, iniquitates nostras: ut ad Sancta Sanctorum puris mereamur mentibus introire. Per Christum Dominum nostrum. Amen.




Assim, as últimas palavras do sacerdote, antes de ascender para o altar, faz uma saudação aos fieís (dominus vobiscum) e um convite a oração comum (Oremos). Ambos devem estar puros e santos para oferecerem um sacrifício eucarístico a Deus.




O sacerdote depois de subir no altar, e oscular a pedra sagrada, benze o incenso, com o sinal da cruz e incensa o altar, as relíquias dos santos e a cruz em sinal de honra e dignidade. Na Igreja Latina estas práticas de incensações foram introduzidas pelo século IX. Antes havia uma incensação única no ofertório. Os novos usos foram imitados da liturgia grega.




O Intróito: Nos primórdios do cristianismo não havia intróito. Apareceu no século IV, quando tinha cessado as perseguições. O culto podia então manifestar maior esplendor. No ato de entrada o padre e os ministros para não entrarem em silêncio lembravam de rezar um salmo que foi o intróito (intróito = entrada). O salmo escolhido tinha relação dom a festa do dia. Após modificações chegou ao que conhecemos hoje.




Kyrie Eleison: (Grego = Senhor tende piedade de nós) Pedido de perdão e misericórdia que remontam as origens do cristianismo, onde o povo reunido suplicava a Deus pela paz, tranqüilidade e progresso. O diácono propunha aos fiéis as intenções oportunas.




P: Kyrie eleison.
R: Kyrie eleison.
P: Kyrie eleison.
R: Christe eleison.
P: Christe eleison.
R: Christe eleison.
P: Kyrie eleison.
R: Kyrie eleison.
P: Kyrie eleison.




O Glória in excelsis: começa com o grito de glória dos pastores em Belém no nascimento de Jesus. As partes seguintes fazem uma reverência ao Pai Criador, ao Filho redentor e o Espírito santificador. É um hino de regozijo que se omite em missas votivas, no dia de finados e missas em tempos de penitência:




P: Gloria in excelsis Deo, et in terra pax hominibus bonae voluntatis. Laudamus te, benedicimus te, adoramus te, glorificamus te. Gratias agimus tibi propter magnam gloriam tuam. Domine Deus rex coelestis, Deus Pater omnipotens. Domine Fili Unigenite, Jesu Christe. Domine Deus, Agnus Dei, Filius Patris. Qui tollis peccata mundi, miserere nobis. Qui tollis peccata mundi, suscipe deprecationem nostram. Qui sedes ad dexteram Patris, miserere nobis. Quoniam tu solus sanctus, tu solus Dominus, tu solus altissimus, Jesu Christe, cum Sancto Spiritu, in gloria Dei Patris. Amen.




Coletas: (Latim = Assembléia) Na Igreja primitiva o padre se reunia com os fiéis para as celebrações dos santos mistérios. Ali cantavam salmos e os fiéis rezavam pelo sacerdote. O termo Coleta significa assembléia reunida. Esta oração que tem referência a festa do dia, tem como significado o padre que roga a Deus pelas intenções dos fiéis reunidos.

Santa Inês, Virgem e Mártir


A existência desta Mártir de doze anos, que viveu no início do século IV e foi vítima da feroz perseguição de Diocleciano, é bem documentada. Sua popularidade e devoção se estenderam por toda a cristandade desde o início até agora. Acreditamos em uma tradição grega em que o papa Dâmaso diz que Inês foi martirizada numa fogueira. O poeta Prudêncio e toda a tradição latina afirma que Inês não quis sacrificar à deusa Vesta e por isso foi decapitada.
A festa de Santa Inês recorda-nos um tocante e glorioso triunfo de Cristo sobre o mundo. Uma vez teria dito a seu carrasco: "que ferisse, porque era grande injúria para o esposo, fazê-lo esperar", e desta maneira apresentou a espada ao peito tão delicado e pequeno que o algoz, diz Santo Ambrósio, teve dificuldade de encontrar lugar para a ferir.

Uma criança a confundir os poderes da terra. Não sabemos a data do seu martírio, mas nos princípios do século IV a princesa Constantina, filha mais velha do primeiro imperador cristão, mandou levantar sobre seu túmulo ao longo da Via Numentana uma basílica que é hoje ainda uma das mais célebres de Roma. O nome de Inês está presente no Cânon da missa.

Santa Inês rogai por nós!

Lefebvre, Dom Gaspar. Missal Quotidiano e Vesperal. Bruges, Bélgica; Abadia de S. André, 1960.


domingo, 20 de janeiro de 2008

MJCB


Domingo da Septuagésima: "Ide vós também para a minha vinha" (Ev.)




Depois assistirmos à recepção entusiástica com que a Igreja recebeu o Verbo encarnado, vamos entrar nos recessos tenebrosos da decadência humana.




A Septuagésima principia sempre na nona semana antes da Páscoa e compreende os três domingos denominados: Septuagésima, Sexagésima e Qüinquagésima. A designação derivante do sistema de numeração em uso, marca a série das dezenas sobre que recaem estes domingos. Com efeito se dividirmos as nove semanas antes da Páscoa em séries de dez dias, poderemos constatar que o primeiro Domingo dos 9 domingos cai na sétima dezena, o segundo na 6ª dezena e o terceiro na 5ª dezena.





A festa da Páscoa é móvel e pode ser celebrada conforme os anos, entre os dias 22 de Março e 25 de Abril. Quando vem mais cedo, a Septuagésima começa ainda no tempo da Epifania.





O tempo da Septuagésima é o prelúdio do grande jejum da Quaresma e serve de preparação remota para as festas da Páscoa. Serve de transição a alma cristã que deve passar das alegrias do Natal para as penitências austeras da Quaresma. E se o jejum ainda não é rigoroso, a cor dos paramentos já é roxa, a cor da penitência. Não se reza o Glória, porque esse canto de alegria que celebrou Cristo nascido em nossa carne mortal, deve se cair durante este período de tristeza, que envolve a alma da Igreja por causa dos pecados dos homens, para irromper de novo no dia da ressurreição.





A Quaresma, de quarenta dias e as três décadas da Septuagésima, simbolizam perfeitamente os setenta anos de cativeiro na Babilônia. Este tempo termina para o ciclo litúrgico na Quarta-Feira de Cinzas.





A aproximação dos textos do breviário e do missal, essa semana, esclarece-lhes singularmente o sentido e a importância. As lições e os responsórios dos ofícios da noite são tirados do Gênesis e relatam a história da criação do mundo e do homem, a queda dos primeiros pais, a promessa do redentor e finalmente a morte de Abel e a seqüela das gerações até Noé. "No princípio, diz o livro santo, Deus criou o Céu e a Terra, formou o homem e colocou-o num Jardim de delícias para o cultivar". Jesus Cristo, observa São Gregório, diz-nos que o Reino dos Céus é semelhante a um Pai de família que assalaria um monte de operários para a sua vinha. Olha quem pode melhor representar o Pai de Família que o Criador, que governa com a sua providência tudo que é criado neste mundo e traz neste mundo os seus escolhidos como o Senhor traz o Servo na sua casa? A vinha é a Igreja. Todos os aplicaram com retidão à prática do bem e exortaram os outros com a palavra ou com o exemplo a enveredar pelos caminhos da virtude, são operários desta vinha. Pelos da primeira, terceira, sexta e nona hora, quis o Senhor designar o povo judeu, que desde o princípio se esforçou a servir a Deus na pessoa de seus profetas e de seus santos não cessou de trabalhar no cultivo da vinha. Pelos da Undécima, designou os gentios e a eles se dirige:" Porque estais aqui o dia todo sem fazer nada?" Todos os homens são pois convidados a trabalhar na vinha do Senhor, quer dizer, na própria santificação e na alheia, e glorificar por este modo a Deus. Mas Adão falhou na sua missão: "porque tu comeste do fruto da árvore que te ordenara que não comesse, a terra por tua causa será maldita e tirará dela teu sustento à força do trabalho. Só dará espinhos e cardos. Comerás o pão do suor do teu rosto até que voltes da terra donde saístes." Exilados do Paraíso, diz Santo Agostinho, o primeiro homem comunicou a pena de morte e reprovação a todos os descendentes. O gênero humano, assim condenado, foi por assim dizer afundado na desgraça que vai arrastando consigo através das misérias da vida. Os textos das missas estão cheios dos mesmos pensamentos. "Dores de morte me cercaram", diz o Intróito. E é com justiça, diz a oração, que sofremos pelos nossos pecados. A Epístola nos apresenta a vida como um circo onde é necessário lutar para ganhar a coroa. O denário da vida Eterna, acrescenta o evangelho, será dado só aquele que trabalhar na vinha do Senhor. Deus na sua sabedoria preferiu, diz Santo Agostinho, tirar bem do mal, e não permitir mal algum. Deus com efeito compadeceu-se dos homens e prometer-lhes um segundo Adão que restabeleceria a ordem perturbada pelo primeiro. O Paraíso era a "sombra duma vida mais perfeita". Exilados de lá com Adão veio nos abrir as portas e dar-nos a oportunidade de lá entrarmos. Senhor, canta a Igreja, vós sois o nosso auxílio na angústia e na indigência. Tendes o perdão convosco, iluminais sobre nós a vossa face e salvai-nos.





A missa da Septuagésima assim estudada prepara-nos para começar este novo período do ano litúrgico com uma compreensão mais perfeita dos mistérios pascais. Aprende-se melhor deste modo tudo o que a Páscoa representa e o que a Igreja nos ensina quando diz: Deus criou o homem duma maneira admirável e o resgatou de uma maneira mais admirável ainda.









Evangelho de Domingo:





Continuação do Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus: Naquele tempo:
Com efeito, o Reino dos céus é semelhante a um pai de família que saiu ao romper da manhã, a fim de contratar operários para sua vinha.
Ajustou com eles um denário por dia e enviou-os para sua vinha.
Cerca da terceira hora, saiu ainda e viu alguns que estavam na praça sem fazer nada.
Disse-lhes ele: - Ide também vós para minha vinha e vos darei o justo salário.
Eles foram. À sexta hora saiu de novo e igualmente pela nona hora, e fez o mesmo.
Finalmente, pela undécima hora, encontrou ainda outros na praça e perguntou-lhes: - Por que estais todo o dia sem fazer nada?
Eles responderam: - É porque ninguém nos contratou. Disse-lhes ele, então: - Ide vós também para minha vinha.
Ao cair da tarde, o senhor da vinha disse a seu feitor: - Chama os operários e paga-lhes, começando pelos últimos até os primeiros.
Vieram aqueles da undécima hora e receberam cada qual um denário.
Chegando por sua vez os primeiros, julgavam que haviam de receber mais. Mas só receberam cada qual um denário.
Ao receberem, murmuravam contra o pai de família, dizendo:
- Os últimos só trabalharam uma hora... e deste-lhes tanto como a nós, que suportamos o peso do dia e do calor.
O senhor, porém, observou a um deles: - Meu amigo, não te faço injustiça. Não contrataste comigo um denário?
Toma o que é teu e vai-te. Eu quero dar a este último tanto quanto a ti.
Ou não me é permitido fazer dos meus bens o que me apraz? Porventura vês com maus olhos que eu seja bom?
Assim, pois, os últimos serão os primeiros e os primeiros serão os últimos. [ Muitos serão os chamados, mas poucos os escolhidos.]




Lefebvre, Dom Gaspar. Missal Quotidiano e Vesperal. Bruges, Bélgica; Abadia de S. André, 1960.